terça-feira, setembro 11, 2007

11/9

Quando a tragédia aconteceu, a única idéia clara em minha cabeça foi: o mundo não será mais o mesmo. Não foi.
Mudou, e mudou pra pior. Muito pior. Temos algo pior do que Vietnã acontecendo no Iraque e Afeganistão, sem final feliz à vista. Um medo constante e justificado nos países desenvolvidos. Ódio e incompreensão religiosa em todo mundo.
E tem gente que pensa que pode passar a vida alheia a tudo isso; que nada disso lhe diz respeito, afinal, estamos no Brasil, não é?
Vai pensando, vai...

6 comentários:

Chris Rodrigues disse...

É!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Paulo Brabo disse...

Há uma frase de efeito que cito para mim mesmo ainda mais do que "salvo engano".

What can possibly go wrong?

Rubinho Osório disse...

Pessoal, uma pergunta:
devo permitir que comentem neste blog quem arbitrariamente e barbaramente barrou nosso acesso aos coments da Bacia?
Mesmo sendo comentários sempre tão relevantes?
Huuummm... o que vcs acham?

Lou Mello disse...

Quanto à Bacia das Almas
Aprenda a dar a outra face. Aprendi isso com um rapaz do oriente médio, quando estive visitando Israel e cercanias. Claro que dá vontade de seguir o exemplo dos ancestrais dele e aplicar o dente-por-dente. Mas algo me diz, que o rapaz estava mais certo.

Quanto ao 11/09, em 1997 estava fazendo um curso na GV, tendo como colega o grande Ricardo Muniz. Certo dia ele me citou o Burundhi, um sociólogo que preve o apocalipse como uma guerra de matiz religiosa.

georgia aegerter disse...

Dividiu a história, pode acreditar.

Abracos

georgia aegerter disse...

Rubinho, nao vou te chamar mais de Osório, kakakak

Eu acho que essa história sua e do Lou com o Brabo ainda pode terminar como as torres do 11.09.01