sábado, dezembro 30, 2006

Sadam e a estupidez humana

Leio, estupefato, a notícia do enforcamento de Sadam Hussein às vésperas do Ano Novo, do Dia Mundial da Paz (1/1), no Iraque, país "patrocinado" pelos EUA.
Há poucos minutos, lia numa revista Ultimato de 2002, a frase de L. F. Veríssimo: "O mundo não é ruim, é só muito mal frequentado". Com a morte de Sadam, a situação não mudou nada. Os "frequentadores" deste planeta continuam tão mal, ou talvez até pior, com sua morte.
Não que eu morresse de amores, ou admirasse S. Hussein, ditador déspota perverso, iníquo, malfeitor, desalmado. Apenas acho que perdeu-se uma oportunidade de elevar um pouco a humanidade, mostrando justiça e compaixão, direito e misericórdia, autoridade e amor a quem nunca soube o significado correto destas palavras.
E não me venham dizer que a responsabilidade pelo seu assassinato legal (porém imoral) é das autoridades iraquianas e que o islamismo é que permite estas barbaridades, blá, blá, blá... blá, blá, blá !!! Somos todos culpados pela existência cruel e pela morte estúpida de Sadam Hussein. E mais ainda, são os EUA culpados por mais este homicídio inútil. Uma lista sem fim, cujo custo será altíssimo.
Chega de maldades... Feliz Ano Novo !!!

Um comentário:

Lou Mello disse...

É e eles já estão acenando para os próximos alvos como o Irã e a Korea do Norte com um olho em Cuba, assim que Fidel se for. Nessa altura, ser voluntário na Cruz Vermelha pode ser uma alternativa interessante. Enfim, acho que não vai mudar nada. O mundo continuará caminhando sob os auspícios da ganância, do poder e do orgulho. Nós ficaremos na contra mão feitos os patetas de sempre, tentando avisar que o caminho é do outro lado. Fique em paz com todo teu pessoal. Feliz ano novo.