terça-feira, dezembro 05, 2006

Ctrl+C, Ctrl+V

Ética de Convicção versus Ética de Responsabilidade

“...Em tudo isso, há outro debate a se levar em conta, embora poucos o façam: devemos agir na vida política motivados por uma ética de convicção ou por uma ética de responsabilidade?

A ética de convicção diz que devemos fazer o que acreditamos ser o certo, sejam quais foram as consequências. Por exemplo, um pacifista não se engajará numa guerra, mesmo que seja para impedir a morte de inocentes, pois ele age apenas segundo suas convicções.

Já uma ética de responsabilidade diz que devemos levar em conta as consequências previsíveis das nossas decisões políticas – nesse caso, o pacifista se sentirá parcialmente responsável pela morte de inocentes e poderá optar por engajar-se.

Em geral cobramos de nossos políticos uma postura de responsabilidade...”

(trecho de “Evangélicos ajudam a reeleger Bush”, de Paul Freston

in revista Ultimato – jan/fev 2005)

E nós, como temos agido? Movidos por convicção, mas com responsabilidade?

2 comentários:

Lou Mello disse...

Não sei se estou certo, mas se existe um tema a não ser tratado com nossos políticos é: Ética. Segundo minhas acuradas observações, eles preferem falar sobre verbas, as próximas eleições e quanto é que eu levo nisso...
Não posso cobrar ética deles. Não sei se sou movido por ética. Talvez, por paixões, uma coisa mais para passional. Sei que falei como Caetano, desculpe.

Volney Faustini disse...

Parece que o pessoal tarda, mas acorda. A eleição provou isso, e agora parece que o mundo vai cair na cabeça do Bush.

E é capaz de dizer que quem faz a vontade de Deus é perseguido

Durmamos com um barulho desses ...