segunda-feira, outubro 09, 2006

No calor das discussões...

...recebi de um ex-colega de faculdade o seguinte comentário:

"Faz tempo que deixei de partilhar da pretenção de saber. Quando eu tive um ameaço de saber supremo éramos 90 milhões e eu tinha 19 anos. Agora que tenho 54 anos, perdi essa capacidade de saber o que é bom para os outros, mesmo porque agora tem mais outros 90 milhões que ainda não me confessaram o que querem da vida. Não tenho certeza mas parece que só querem ser felizes! Contrariando muita gente que acha que precisam ter carro do ano, casa própria, passaporte italiano e conta no banco. Eta povo complicado!"


Tenho a impressão que este é um forte argumento em favor das liberdades individuais e do processo democrático participativo e inclusivo: permitir que as pessoas manifestem seus desejos e dar meios para que lutem pelo que desejam. Para isso, como pré-condição: humildade, o devido respeito à opinião alheia e o diálogo franco. Caso contrário haverá sempre quem pretenda saber o que o povo precisa, e tentará impor sua opinião.

Não consigo perceber nos 2 candidatos, essa atitude.

Salvo engano.

Um comentário:

Lou Mello disse...

Nem eu. Nem essa e nem outras.