quarta-feira, outubro 17, 2007

Tempo livre

Elaine sempre usa a frase de uma parábola moderna para comentar as alternativas que nos apresentam tudo que acontece: “pode ser sorte, pode ser azar”.

A impossibilidade de comentar os textos, ilustrações e outros posts na Bacia apresentou-se para mim como um azar danado. Perdia a oportunidade não só de me expressar, reagindo aos constantes “cutucões” que a mente brilhante do Brabo nos inflige, como também de ler, embevecido, divertido, surpreendido ou emocionado, os comentários de gente esperta como o Hernan, o Tuco, o Amorim, o Lou, o Anderson, o Volney, e – certamente! - a Chris, a Alê, a Vilma e a Georgia. Também do Kalil, do Chagas, da Maya, da Norma (!)...

Tenho notado, porém, que tal fato aziago também teve seu lado positivo. Emagreci, a ponto de ser comentário geral no casório da filha, “como seu pai está elegante!”; e ganhei tempo livre. É, esse danado, valioso, raro e difícil bem chamado “tempo livre” apareceu-me, tímido e fugaz, graças a essa economia de leitura.

Pena que não tenha aprendido a usar bem esse tempinho, e nada de bom fiz com ele até agora...

5 comentários:

Paulo Brabo disse...

Na minha mitologia pessoal a mesma preocupação da Elaine é expressa, sem a mesma sabedoria, pela frase "O que é que pode dar errado?"

Tudo, salvo engano.

Lou Mello disse...

Esse seu tempo extra pode ser sorte ou azar, afinal tudo pode dar certo ou tudo pode dar errado. Uma coisa é certa: pior do que está, não ficará.

Tuco Egg disse...

Tempo livre é bom, mesmo que não se faça nada com ele :-)

Paulo Brabo disse...

Viva, o Tuco é que está certo. Aproveitar o tempo é coisa de utilitarismo norte-americano, etc etc.

Vilma disse...

Ora pois.. não há bem que sempre dure e nem mal que não se acabe! ;)
Abraços!