terça-feira, fevereiro 27, 2007

O Oscar

Dos grandes ganhadores deste ano, só assisti "Babel", até agora. Gostei do filme, mas saí com a impressão de que não ganharia o Oscar. Ainda preciso assistir "Os Infiltrados" e "Pequena Miss Sunshine" pra saber se minha intuição estava certa.
Meu cunhado me disse que "Cartas de Iwo Jima" é um belo filme. Ultimamente tenho olhado Clint Eastwood com o misto de admiração e respeito que tinha por Paul Newman. De repente, posso até opinar pelo injusto esquecimento de premiá-lo.
Mas "Babel" tem lá suas qualidades. Faz você pensar sobre a transitoriedade e fragilidade da vida e dos relacionamentos que a mantém. Porque, no fundo, o que nos mantém vivos é essa intricada, frustrante, e inexplicável rede de relacionamentos - familiares, sociais, profissionais, afetivos e geográficos - que cultivamos e mantemos durante a vida. E como essa rede é frágil!!! É como se uma teia de aranha sustentasse um elefante. "E foram chamar outro elefante..."
É isso.

2 comentários:

Lou Mello disse...

Assisti Os infiltrados. É legal, mas não achei que tenha sido o melhor de Scorsese. Gostei muito de Diamante de Sangue, podia ter levado algo para casa, como o Melhor Coadjuvante, apesar que o Di Cáprio estava melhor aí do que em Os Infiltrados, onde os velhinhos (Jack Nicholson, Martin Sheen e Alec Balduin) roubaram a cena dos meninos.

alealb disse...

gostei da teia de aranha e do elefante (agora musiquinha não sai da minha cabeça...),
e concordo totalmente. fragilidade - resume os relacionamentos humanos. resume e define!
obs. o "Cartas de Iwo Jima" eu também indico. vale a pena ver.
vou colocar você na lista de blogs que indico, ok?
beijos,
alê