quinta-feira, maio 11, 2006

Esse Evo Morales!

O danado me fez passar por maus momentos estes últimos dias. Logo de cara, me deu vontade de esmurrar o cara por causar preju aos "legítimos interesses brasileiros" ao anunciar a nacionalização dos recursos naturais e a desapropriação das terras de propriedade de estrangeiros. Em seguida me vem à mente os séculos de exploração dos recursos minerais do paupérrimo país, a situação calamitosa na qual vive a maior parte da população e bate um certo remorso por estarmos usufruindo lucros às custas do povo boliviano... e pensar que eu quase instalei gás natural no meu carro! Ouvi uma vez que negócio bom é bom pros dois lados. Parece então que não tínhamos um bom negócio com os bolivianos, não é? Agorinha vi o Evo fazendo uma declaração na Europa e não puder impedir um tiquinho de torcida para que ele dê certo como presidente e que tudo isto acabe bem... prá todos nós. Será?

2 comentários:

Lou disse...

SAbe Rubinho, demorou para eu ruminar algumas idéias do Nietzsche sobre o cristianismo, em especial a compaixão. O fato é que enquanto estamos sentindo compaixão por esse e outros povos sofridos, eles querem nos matar e ficar com o que é nosso, em ato conhecido como latrocínio. Se não puderem matar, nos machucarão e roubarão. Jamais seremos aceitos como irmãos ou naação amiga. Somos maiores, mais fortes e mais ricos e nos odeiam por tudo isso. Nosso presidente precisa melhorar a auto-estima dele próprio como recomendou ao povo brasileiro e não permitir a esses populistazinhos de meia tijela tripudiarem sobre nossas cabeças

Rubinho Osório disse...

Concordo com vc, Lou, que o Evo seja populista - tal como o nosso "pai dos pobres" do sec XXI - mas meu ponto central é o quanto o povo boliviano mereça sofrer às custas do sistema econômico globalizado, e o quanto podemos (nós, os brasileiros) nos beneficiar dessa situação. Talvez eu devesse ler Nietzsche...